A atividade faz parte das devolutivas sociais do Laboratório de Criação, linha de pesquisa da instituição

Fernanda Soares – Foto: Luiz Alves

Neste sábado, dia 18, a partir das 9h, a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco recebe agricultores do assentamento Che Guevara, localizado em Ocara. Representantes de 20 famílias da Cooperativa Agroindustrial Minifábrica de Beneficiamento de Castanha de Caju participarão da oficina “Queijo Vegetal”. A atividade é decorrente da pesquisa de Fernanda Soares, aluna da Escola em 2019, que desenvolveu um queijo fermentado de resíduos da produção da amêndoa sob a orientação do professor Sandro Gouveia (UFC).  

“Nossa proposta é mostrar é que é possível agregar valor a um resíduo da indústria da castanha de caju, desenvolvendo um queijo vegetal com os pedaços originados do seu processo de beneficiamento”, afirma Fernanda. Ela destaca que a busca por alimentos de fontes vegetais, seja por questões de saúde ou estilo de vida, tem sido crescente. 

O processamento da castanha de caju envolve várias etapas bem definidas: colheita e descastanhamento; limpeza e seleção; secagem; cozimento; descorticação; estufagem da amêndoa; umidificação da amêndoa; reestufagem da amêndoa; resfriamento; despeliculagem; seleção e classificação final; embalagem; armazenamento. No decorrer de todas essas etapas, existe um grande índice de quebra das amêndoas de castanha de caju, e essas ficam sem valor de mercado. O queijo vegetal desenvolvido no Laboratório de Criação de 2019 se propõe a utilizar a castanha quebrada e assim trazer uma valorização ao resíduo, considerado prejuízo para aqueles que vivem a produção e comercialização de amêndoas de castanha de caju.

Laboratório de Criação em cultura alimentar e gastronomia

Iniciativa inspirada na experiência da Porto Iracema das Artes, escola de criação e formação ligada ao Instituto Dragão do Mar e à Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, o Laboratório de Criação se constitui em espaços para experimentação, pesquisa e desenvolvimento de projetos a partir da imersão em processos formativos desenvolvidos em torno das propostas previamente selecionadas, sob a qualificação e o acompanhamento de mentores, por meio de orientações individuais, oficinas e palestras. Em 2019, o Laboratório recebeu 70 inscrições de projetos de pesquisa, sendo sete selecionados.

A Escola
Instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco (EGSIDB) é gerida pelo Instituto Dragão do Mar. O nome faz referência ao fundador do grupo M. Dias Branco, que financiou a sede doada para o Estado em uma parceria público-privada. O centro de formação oferece cursos básicos e profissionalizantes em cozinha, panificação e confeitaria, além de mentorias para desenvolvimento de produtos e pesquisas, por meio do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar Gastronomia. Todas as atividades são gratuitas, mediante inscrição e processo seletivo. O público-alvo da escola são, preferencialmente,  jovens em situação de vulnerabilidade social e adultos com ou sem experiência em gastronomia.

SERVIÇO: Oficina de Queijo Vegetal, dia 18, 9h – somente para os agricultores de Ocara. Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco: Rua Manuel Dias Branco, 80 – Mucuripe, Fortaleza-CE. Mais informações: (85) 3263-9726 | (85) 3248-8091 – Site: http://gastronomiasocial.org.br/

Skip to content